Como fazer coloração especial

06/02/20|MODA

Pense rápido: o que primeiro chama a sua atenção em um look? Cor, claro. É só pensar naqueles dias em que recebemos elogios porque certa cor "nos favorece". E isso acontece não por pura sorte, ou porque estamos mais cintilantes – mas porque a decisão sobre um visual não é só questão de estilo ou gosto. Para usar as cores a nosso favor, mostrando o melhor dos nossos traços e cores naturais, é essencial levar em conta o estudo das cores.  

É importante dizer tudo isso porque algumas cores parecem unânimes quando o assunto é look certo: preto, bege e azul marinho são dessas que aparentemente funcionam igualmente bem para todo mundo, correto? Bem, a verdade é que não é tão simples assim. Cada mulher, com sua pele e seus traços, acaba tendo a própria cartela de cores "à prova de erro", que deve ser aplicada ao vestir (especialmente na parte de cima, como na blusa).   

Para quem não sabe, as cores têm relação direta no nosso rosto. E são poderosas: podem iluminar e suavizar traços, assim como podem deixar a pele com aspecto apagado. Sabe aquelas manchas indesejadas? Elas acabam sendo destacadas por um tom errado. Disso se trata a técnica de coloração pessoal, ou colorimetria, que identifica combinações harmônicas, que ressaltam a beleza natural. Trata-se de uma ferramenta de autoconhecimento, que ajuda a revelar a essência de cada pessoa.  

Como saber quais as cores certas

No início do processo de coloração pessoal, é feito um teste para comparar uma série de cores aos tons do rosto. Quando se trata das cores "certas", elas iluminam a pele, os olhos e o cabelo, tornando-os mais bonitos e integrados ao visual como um todo. Uma profissional identifica as cores que favorecem o conjunto e, a partir daí, seleciona a cartela de harmonia pessoal que vai nortear a escolha das nossas roupas. Outro ponto que é analisado no momento da consulta é o contraste: pessoas que têm traços bem marcantes no rosto (e, por isso, geram mais contraste com a pele) se beneficiam de looks que reproduzem essa combinação na roupa. Ou seja, alguém de pele clara e cabelo escuro deve investir em uma produção que reproduza esse padrão. Já alguém cujo tom de pele se aproxime do tom dos cabelos deve optar por looks suaves, que lembrem um tom sobre tom.

Um primeiro teste em casa

Quando se trata de colorimetria, é bem importante contar com o trabalho de uma profissional, que vai levar para o atendimento uma bagagem de informações e conhecimentos, além de variados tecidos em diferentes tons para realizar os testes com bastante precisão. Mas você pode fazer os primeiros testes sozinha! Para isso, separe dois pedaços de tecido (um dourado e um prateado) e veja o efeito deles sobre seu rosto. Importante estar sem maquiagem e com uma faixa neutra na cabeça, para que seja mais fácil detectar qual dos tecidos salienta as imperfeições do rosto (como olheiras, linhas de expressão e manchas) e qual as suaviza e faz brilhar a pele e os cabelos. É a última opção que queremos, óbvio! Depois disso, você já vai saber se são os tons frios ou quentes que te favorecem. E as pistas começam a ficar mais e mais concretas, já ajudando na hora de escolher o look:

// Tons Frios

Se o tecido prata favoreceu sua beleza, é porque as cores frias são predominantes na sua cartela de cores! Pigmentos azulados e esbranquiçados dão certo, como azul, rosa e roxo.

COMPRE O LOOK

Tons quentes

O tecido dourado te iluminou? Aposte nas cores quentes, com pigmentos amarelados, como vermelho, amarelo, laranja.

COMPRE O LOOK

Lembrando que os efeitos da coloração pessoal atinge especialmente o rosto (o tempo inteiro falamos sobre iluminar os traços, né?), e um pouco das mãos e das unhas. É bom ter isso em mente, porque ninguém deve abrir mão das cores preferidas no look só porque elas não estão na cartela de harmonia pessoal. Mas vale, sim, ter o cuidado de reservar as peças que não valorizam tanto a sua beleza para calças e saias, se você quiser brilhar ainda mais. Vamos tentar?

CADASTRE-SE E RECEBA NOVIDADES EXCLUSIVAS