Instituto Lojas Renner empoderando refugiadas!

20/02/20|FAÇA ACONTECER
Todos os dias, pessoas são forçadas a abandonar seus empregos, casas, e deixar suas vidas para trás. O número de pessoas que fogem de guerras, conflitos ou perseguições ultrapassou 70 milhões em 2018, e buscar refúgio é um direito garantido pela Declaração Universal dos Direitos Humanos. A Síria e Afeganistão são os países com maior número de refugiados pelo mundo, mas, regionalmente falando, o Brasil é um forte ponto de amparo a refugiados da Venezuela. Hoje, somos o país com o maior número de refugiados venezuelanos reconhecidos na América Latina.
O papel da mulher no restabelecimento dessas famílias é crucial, e as oportunidades de emprego para elas geralmente são menores. Para a mulher refugiada, o sonho de ter um emprego supre bem mais que questões econômicas – simboliza a oportunidade de um novo lar com condições de paz e prosperidade. Podemos e devemos agir em favor da cidadania e é por isso que o Instituto Lojas Renner tem um projeto para capacitar mulheres refugiadas na cadeia da moda. É uma parceria nossa com as agências da Organização das Nações Unidas, que já formou mais de 300 mulheres desde 2016.
O projeto tem dois pilares: o desenvolvimento humano com resiliência emocional e a capacitação em competências de atendimento e moda. A turma mais recente do projeto Empoderando Refugiadas terminou o ciclo no final do ano passado, qualificando 20 refugiadas venezuelanas na cidade de Boa Vista, em Roraima. Ao concluírem o curso, todas elas foram contratadas pela Renner em 13 diferentes cidades do País, sendo interiorizadas junto com suas famílias. Esse é um recomeço que vale a pena compartilhar!
Quando uma mulher nos conta que esse programa despertou nela algo que tinha, mas desconhecia, isso vale muito. Clique no vídeo para ver essa mudança, e pegue um lencinho, porque lágrimas podem correr!

O programa Empoderando Refugiadas oferece duas modalidades de curso: Atendimento e Vendas para o Varejo ou Modelagem e Costura. Mas não se trata apenas de qualificação profissional. Nossos instrutores também abordam habilidades como autoconfiança, trabalho em equipe e questões relacionadas a cultura brasileira, saúde e segurança no trabalho. Desde o começo do projeto, já tivemos turmas em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Salvador e, a mais recente, em Boa Vista. Das 300 mulheres capacitadas, pudemos contratar mais de 75 para Renner, Youcom e Camicado. Elas são vindas de Angola, Congo, Haiti e Venezuela e agora podem vislumbrar uma nova oportunidade de cidadania por meio da capacitação profissional. Cidadania faz parte dos nossos valores, e já temos mais de 10 anos de diferentes projetos focados no empoderamento de mulheres. Mais que nos deixar felizes, o resultado de programas como o Empoderando Refugiadas faz a gente crer que um mundo melhor é possível quando cada um de nós pode ir um pouco além!