Refugiadas no Brasil: transformando vidas por meio de oportunidades

20/06/20|MODA

No Dia Mundial do Refugiado, temos uma oportunidade para celebrar a força, a coragem e a perseverança das pessoas que foram forçadas a deixar suas casas e seus países por causa de guerras, perseguições e violações de direitos humanos. O Brasil é historicamente bem posicionado na proteção internacional de refugiados. Já faz 60 anos que o País firmou compromisso com o Estatuto dos Refugiados, e fomos a primeira nação do Cone Sul a fazer isso.

Mas não basta acolher as pessoas: é preciso oferecer condições para que elas consigam reestruturar as próprias vidas. Os desafios em outra cultura são enormes, e vão desde a obtenção de documentos, até o treinamento para o trabalho no Brasil. Fora as dificuldades com a língua. Pensando nisso, o Instituto Lojas Renner desenvolveu um projeto especialmente voltado à capacitação de refugiadas, numa parceria com o Pacto Global, o Acnur e a ONU Mulheres.

É o projeto Empoderando Refugiadas, desenvolvido desde 2016, que se propõe a resgatar as condições básicas de cidadania de mulheres refugiadas. Isso ocorre com a capacitação para o trabalho e a contratação de muitas dessas beneficiárias em lojas Renner pelo Brasil. A Cleidismar foi uma participante dessa iniciativa, e o desfecho dessa história é um orgulho para todos nós.

Chegada ao Brasil por Roraima, ela estava grávida e infelizmente passou por dificuldades enormes, como viver na rua por um tempo. Em Boa Vista, ela soube do programa Empoderando Refugiadas e agarrou a oportunidade, participando de treinamentos em atendimento e vendas no varejo e desenvolvimento pessoal. Depois disso, foi aprovada num processo de seleção da Renner ainda em Roraima e seguiu junto com a família para Belo Horizonte, já com emprego garantido em uma loja Renner, e aí sim, deu início a uma nova vida, com novas oportunidades!

Ao todo, o programa já ofereceu treinamento a mais de 300 mulheres nas áreas de atendimento, vendas, modelagem e costura. Os cursos também trazem o desenvolvimento de habilidades como autoconfiança, trabalho em equipe e questões relacionadas a cultura brasileira, saúde e segurança no trabalho. As participantes chegaram ao Brasil vindas de países como Venezuela, Colômbia, Haiti, Nigéria, Angola, Cabo Verde, Congo, Gabão, Senegal e Guiné-Bissau.

É muito emocionante conhecer um pouco mais dessas trajetórias para as quais o Instituto Lojas Renner pôde contribuir. No podcast do movimento #TodasAvançamJuntas, que ecoa o trabalho de mulheres na cadeia da moda, a Cleidismar contou a história dela. Você pode ouvir aqui esse episódio e entender por que o empoderamento é tão transformador!

A Renner é signatária dos princípios da ONU Mulheres pelo empoderamento, que promovem a equidade de gênero em todas as atividades sociais e comerciais, como garantias para o efetivo fortalecimento das economias, o impulsionamento dos negócios, a melhoria da qualidade de vida de mulheres, homens e crianças, e para o desenvolvimento sustentável. O projeto Empoderando Refugiadas é uma das iniciativas promovidas dentro desses princípios, e para a Renner, é um orgulho mudar vidas por meio de oportunidades!

CADASTRE-SE E RECEBA NOVIDADES EXCLUSIVAS POR E-MAIL