Copenhagen Fashion Summit: inspirações para a nova moda que precisamos!

23/10/20|MODA

Uma moda mais comprometida com os recursos e com as pessoas é o que queremos. A Renner apoia e participa dos principais fóruns mundiais que debatem melhores práticas em toda a cadeia têxtil. Ao mesmo tempo em que temos políticas internas voltadas à moda responsável, acreditamos no poder transformador das mudanças construídas coletivamente. Um exemplo disso é o festival Copenhagen Fashion Summit, que é uma referência mundial ao reunir líderes do nosso segmento para um debate necessário sobre sustentabilidade na cadeia da moda.

A Renner participa dessa programação, que oferece muita inspiração e insights para a temporada seguinte. Neste ano, em função da Covid-19, o Fashion Summit teve sua primeira edição totalmente digital, trazendo projeções e caminhos para o cenário pós-pandemia. Nossas equipes de Pesquisa e Sustentabilidade acompanharam todas as transmissões e, além do conteúdo que foi apresentado, o Summit deixou como legado uma plataforma com materiais gratuitos, que vão ficar disponíveis ao público.

Os convidados desses debates são os principais líderes e tomadores de decisão da indústria da moda. E a fala deles mostrou a necessidade urgente de uma atualização no modelo de geração de valor. Foi uma grande oportunidade de entendermos o que existe por trás da cena fashion e de nos aproximarmos das mentes mais inovadoras do segmento, de onde partem as soluções que vão guiar os próximos anos da indústria, num equilíbrio muito mais suave entre as pessoas e o planeta.

O Copenhagen Fashion Summit + 2020 teve como resultado um manifesto em que a organização aponta para a urgência de as grandes marcas se unirem em torno de um melhor uso dos recursos naturais e humanos, ressignificando o desenvolvimento de toda a cadeia produtiva. “Temos a chance de usar este momento para realmente reiniciar”, disse Eva Kruse, CEO da Global Fashion Agenda e fundadora do Copenhagen Fashion Summit.

Para nós, da Renner, o melhor conhecimento é aquele que se transforma em melhorias na prática. E, mais que isso, aquele que podemos compartilhar para inspirar mais e mais pessoas. Por isso, queremos dividir alguns dos principais insights apresentados no Copenhagen Fashion Summit.

// Ambiente comprometido

Esse assunto já vinha sendo abordado no evento desde o ano passado e, nesta edição, ganhou ainda mais destaque porque estamos a menos de uma década da data-limite que a ONU estabeleceu para frearmos a elevação da temperatura do planeta em 1,5 0C (referente aos níveis pré-industriais). Foi abordada em muitos momentos a necessidade de avanço por etapas para alcançarmos a meta. Os limites do planeta também foram pauta. É preciso que a indústria se concentre na aceleração de produtos circulares, feitos com insumos que hoje são resíduos.

// Algoritmos X estoques

Conectada com essa realidade e com o contexto de pandemia vem a ideia de produzir sob demanda: é uma boa alternativa para evitar estoques estagnados. Mas, para isso, as marcas têm o papel de se ancorar na inteligência de dados e de produzir a partir de algoritmos que indicam o que precisa ser reposto nas lojas. Na Renner, esse processo já ocorre, e foi acelerado em 2020.

// Geração de valor universal

Gerar valor passa por construir uma boa relação com todas as partes interessadas, em todos os elos da cadeia. Isso requer trazer para o sistema de produção novas métricas e indicadores, além de promover o crescimento sustentado nos diversos níveis. Como vimos no Copenhagen Fashion Summit, a geração de valor passa até mesmo por justiça social e empatia.

Produtos com maior durabilidade ou que empregam tecnologia no reaproveitamento (como a impressora 3D que desmancha um tênis para produzir um novo) ajudam a reforçar esse conceito. Outros fatores que contribuem são transparência (tag que informa a geração de carbono para a produção do produto), novos modelos econômicos e soluções colaborativas.

// Questões sociais e diversidade

Respeito às pessoas é uma premissa do desenvolvimento e foi bastante abordado no Copenhagen Fashion Summit. Isso inclui uma remuneração justa em todos os elos da cadeia, relações de confiança com fornecedores (principalmente em momentos de crise) e o combate de forma ativa à desigualdade racial.

Participar de fóruns importantes, como o Copenhagen Fashion Summit, traz novas inspirações para as equipes de desenvolvimento da Renner, mas também nos mostra que estamos traçando uma trajetória convergente com os principais temas globais relacionados à moda.

Estamos completando dois anos de lançamento do selo Re – Moda Responsável, que engloba nossas boas práticas sociais, econômicas e ambientais. Com ele, conseguimos comunicar nas lojas o resultado de nossas pesquisas sobre processos e matérias-primas menos impactantes, sobre engajamento social e incentivo ao empoderamento feminino na cadeia da moda. Tudo isso porque acreditamos que as empresas podem ser instrumento para um comportamento mais responsável e engajado. #IssoÉRe!

CADASTRE-SE E RECEBA NOVIDADES EXCLUSIVAS POR E-MAIL