AS DIVAS DO TEATRO BRASILEIRO

31/03/21|ENTRETENIMENTO

Ainda no clima de comemoração ao Dia Mundial do Teatro, que aconteceu dia 27 de março, a Renner trouxe um conteúdo especial com três atrizes brasileiras: Bárbara Paz, Mel Lisboa e Nathalia Timberg. O Renner Cultural é um dos projetos que mais apoia o teatro no Brasil, e por isso esse dia é tão especial para nós.

Sabemos que ainda estamos passando por um momento difícil, em que eventos presenciais como o teatro seguem suspensos, mas mesmo assim seguimos festejando essa arte que todos amamos.

O teatro sempre foi o palco privilegiado para o brilho das atrizes brasileiras. De Cacilda Becker a Grace Passô, de Bibi Ferreira a Andréa Beltrão, a galeria de grandes damas da cena é um dos orgulhos nacionais, que se renova constantemente. Para celebrar conosco o Dia Internacional do Teatro de 2021, convidamos duas atrizes de destaque da nova cena brasileira para darem um depoimento exclusivo: Bárbara Paz e Mel Lisboa.

Bárbara trabalhou em mais de 25 peças, protagonizando textos de autores consagrados como Oscar Wilde e Tennessee Williams. Em 2013, recebeu a medalha de Honra ao Mérito Cultural do Ministério da Cultura. Recentemente, estreou na direção de longa-metragem com o documentário Babenco – Alguém Tem que Ouvir o Coração e Dizer: Parou, que ganhou o prêmio de melhor documentário sobre cinema no Festival de Veneza e foi o indicado do Brasil a uma vaga na disputa de Melhor Filme Internacional no Oscar 2021.

Já Mel estreou no teatro em 2002 com o sucesso Confissões de Adolescente e desde então vem demonstrando seu talento eclético nos palcos em espetáculos tão diversos entre si quanto a comédia Mulheres Alteradas, os clássicos Cyrano, Otelo e Peer Gynt, o musical Rita Lee Mora ao Lado – em que encarnava a “mãe do rock brasileiro” – e até o faroeste Homem Não Entra. Suas peças mais recentes são Dogville, adaptação teatral do célebre filme do diretor dinamarquês Lars von Trier, e o impressionante monólogo Hedda Gabler.

Também ouvimos a voz da experiência nessa celebração da importância do teatro nas nossas vidas: uma das mulheres que melhor encarnam a inspiração, a competência e a persistência da atriz brasileira é Nathalia Timberg.

Nascida em 1929, a carioca é uma das mais destacadas atrizes do país. Com uma longa carreira no teatro, no cinema e na televisão – que inclui a participação no lendário Grande Teatro Tupi, da extinta TV Tupi –, Nathalia estreou com seis anos fazendo uma participação especial no filme O Grito da Mocidade (1937).

De lá para cá, são mais de 40 peças teatrais, 20 filmes e cerca de 64 trabalhos televisivos – entre novelas, minisséries, programas e teleteatros. Consagrada pelo público e pela crítica, Nathalia recebeu dezenas de prêmios por sua atuação e foi homenageada em importantes eventos relacionados ao cinema, ao teatro e à televisão.

Incansável, Nathalia Timberg estreou aos 90 anos a peça Através da Iris, uma homenagem à designer nova-iorquina Iris Apfel – ícone internacional da moda que completa cem anos em agosto. Em cena, a veterana atriz brasileira dá voz às ideias arrojadas e ao humor ácido da criadora norte-americana, levando o público a rir e se emocionar com a reunião no palco das trajetórias de duas mulheres talentosas e inspiradoras. Em cartaz desde 2019, Através da Iris recebeu desde então o apoio da Renner.

Para festejar o Dia Mundial do Teatro, a Renner oferece ao público um encontro com a diva Nathalia Timberg e as atrizes Bárbara Paz e Mel Lisboa. Os depoimentos desse trio de estrelas podem ser assistidos no canal no YouTube da Renner e nas redes sociais da marca. Não deixe de conferir!

Já que falamos de atrizes que brilham nos palcos nacionais – e sempre ressaltando que março também é o Mês da Mulher –, a gente preparou aqui uma lista para você relembrar outras maravilhosas damas do teatro brasileiro do passado e do presente:

● Fernanda Montenegro, atriz

● Bárbara Paz, atriz, diretora e apresentadora

● Mel Lisboa, atriz e apresentadora

● Grace Passô, atriz, diretora e dramaturga

● Ruth de Souza (1921 – 2019), primeira atriz negra a atuar em uma peça no Theatro Municipal do Rio de Janeiro

● Bibi Ferreira (1922 – 2019), atriz e diretora

● Marília Pêra (1943 – 2015), atriz e diretora

● Bia Lessa, encenadora

● Cacilda Becker (1921 – 1969), atriz

● Daniela Thomas, cenógrafa e diretora

● Fernanda Torres, atriz

● Débora Falabella, atriz

● Renata Sorrah, atriz

● Dulcina de Moraes (1908 – 1996), atriz

● Marieta Severo, atriz e sócia do Teatro Poeira (RJ)

● Andréa Beltrão, atriz e sócia do Teatro Poeira (RJ)

● Taís Araújo, atriz

● Laura Cardoso, atriz

● Tônia Carrero (1922 – 2018), atriz

● Débora Bloch, atriz

● Teuda Bara, atriz do Grupo Galpão (MG)

● Fernanda Vianna, atriz do Grupo Galpão (MG)

● Inês Peixoto, atriz do Grupo Galpão (MG)

● Tânia Farias, atuadora da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz (RS)

● Maria Adelaide Amaral, dramaturga

● Vera Holtz, atriz

● Denise Fraga, atriz

● Cleyde Yáconis (1923 – 2013), atriz

● Christiane Torloni, atriz

● Eva Wilma, atriz

● Nicette Bruno (1933 – 2020), atriz

● Beth Goulart, atriz e diretora

● Danielle Anatólio, atriz e pesquisadora de teatro negro

● Laila Garin, atriz e cantora

● Cláudia Raia, atriz, cantora e bailarina

● Soraya Ravenle, atriz e cantora

● Mariana Lima, atriz e produtora

● Georgette Fadel, atriz e diretora

● Alessandra Verney, atriz e cantora

● Giulia Gam, atriz

● Bete Coelho, atriz e diretora

● Denise Stoklos, atriz, diretora e dramaturga

● Zezé Motta, atriz e cantora

● Drica Moraes, atriz

● Juliana Carneiro da Cunha, atriz

● Lilian Lemmertz (1937 – 1986), atriz

● Júlia Lemmertz, atriz

● Lília Cabral, atriz

● Ittala Nandi, atriz

● Jandira Martini, atriz, autora e diretora

● Maria Della Costa (1926 – 2015), atriz

● Rosi Campos, atriz

● Mônica Martelli, atriz, diretora, dramaturga e escritora

● Ingrid Guimarães, atriz, humorista e autora

● Deborah Finocchiaro, atriz e diretora

● Irene Brietzke, diretora e atriz

● Sandra Dani, atriz

● Mirna Spritzer, professora e pesquisadora

● Maria Helena Lopes, diretora e criadora do Grupo Tear (RS)

E pra deixar o serviço ainda mais completo, selecionamos abaixo algumas peças recentes protagonizadas por mulheres, que você pode ver em casa nestes tempos de pandemia, na tela do computador ou do celular, de graça. Bom espetáculo

● Camila Pitanga em “Matriarquia [em processo]”

● Walderez de Barros em “Tantas Palavras”

● Esther Góes em “As Mulheres e Aristófanes”

● Eva Wilma em “Eva a Live”

● Ana Kfouri em “Uma Frase para Minha Mãe”

● Rita Clemente em “Amanda”

● Márcia Limma em “Medeia Negra”

● Lilian de Lima em “Pagu, Anjo Incorruptível”

● Luciana Paes em “Olar Universo!”

● Dirce Thomaz em “Eu e Ela: Visita a Carolina Maria de Jesus”

● Regina Braga em “Um Porto para Elizabeth Bishop”

CADASTRE-SE E RECEBA NOVIDADES EXCLUSIVAS POR E-MAIL