Somos todos os estilos de orgulho, somos todos os estilos de amor

21/06/21|ANOTHER

É bom lembrar: para compreender a importância das datas comemorativas é essencial conhecer sua motivação. No dia 28 de junho, o mundo celebra o Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+, movimento político e social que defende a diversidade, a igualdade e a luta por mais respeito, representatividade e direitos para as pessoas LGBTQIA+.

A sigla importa porque cada letra significa uma vida, uma luta e cada movimento tem seu espaço na sociedade. Mas você sabe o significado cada uma delas? Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transsexuais, Transgêneros e Travestis, Queer, Intersexo, Assexual e o +, vêm para incluir outras identidades, grupos, sexualidades e gênero.

A história da data, entretanto, também é valiosa. Veja: em 28 de junho de 1969, o bar Stonewall Inn, frequentado pela comunidade gay em Nova Iorque, foi palco de motins e repressões policiais, que, por sua vez, despertaram na comunidade ações de revolta que ganharam as ruas locais e, posteriormente, o mundo. O evento foi um marco e o start de protestos por direitos, valorização e respeito à comunidade.

Com os anos, muitas conquistas foram alcançadas, leis proclamadas e todas elas são lindas vitórias, que merecem ser comemoradas! Aqui te contamos algumas delas:

Autorização à união e ao casamento civil

Adoção de crianças e adolescentes

Recusar atendimento por preconceito

Processo de redesignação sexual

Alteração do nome no registro civil

Porém, infelizmente, ainda faltam alguns obstáculos a serem vencidos e, para isso, muitas casas de acolhimento surgiram para amparar, ajudar no resgate da autoestima e ser morada a jovens que se veem abandonados por suas famílias por causa de suas orientações sexuais.

Acolher é preciso.

Atenta e disposta a ser eco a esta luta, compartilhamos lugares, um em São Paulo e outro no Rio de Janeiro, que oferecem serviços de acolhimento e atendimento à comunidade:

Casa 1, em São Paulo:

@casa1 www.casaum.org/

Aberta em 2017 no centro de São Paulo e pioneira no Brasil, o espaço é um centro de acolhimento de jovens expulsos de casa pela família por suas orientações afetivas sexuais e de identidade de gênero. Além de moradia, alimentação e transporte, os e as jovens acolhidas recebem todo suporte de assistência social para organização de documentações, apoio nos processos de continuidade ou retomada dos estudos, empregabilidade e atendimentos de saúde clínica e mental. A casa é também um centro cultural e uma clínica social. O projeto tem programações socioeducativas e disponibiliza atendimentos psicoterápicos gratuitos ou de baixo custo.

>> A Renner, em ação de apoio e empoderamento, está atuando na reforma dos espaços onde há cursos profissionalizantes relacionados à área de beleza, como manicure, cabelereiro e maquiador.

Casa Nem, no Rio de Janeiro:

@casanem_

Espaço de acolhimento para pessoas LGBTQIA+ em situação de vulnerabilidade social. Com foco em transexuais e transgêneros, o projeto oferece acolhimento, apoio e resgate de autoestima de pessoas que foram vítimas de violência e rejeição familiar.

>> Vale contar que em 2020 a Renner fez doação de 100 cestas básicas para cada uma dessas casas - dentro do plano de atendimento às comunidades durante o momento mais intenso da COVID-19.

CADASTRE-SE E RECEBA NOVIDADES EXCLUSIVAS POR E-MAIL